Dedico esta mensagem para os educadores que acreditam na força da educação.

 

Acreditar e Agir.

Um viajante ia caminhando em solo distante, as margens de um grande lago de águas cristalinas. Seu destino era a outra margem.
Suspirou profundamente enquanto tentava fixar o olhar no horizonte. A voz de um homem coberto de idade, um barqueiro, quebrou o silêncio momentâneo, oferecendo-se para transportá-lo.
O pequeno barco envelhecido, no qual a travessia seria realizada, era provido de dois remos de madeira de carvalho. Logo seus olhos perceberam o que pareciam ser letras em cada remo. Ao colocar os pés empoeirados dentro do barco, o viajante pode observar que se tratava de duas palavras, num deles estava entalhada a palavra ACREDITAR e no outro AGIR.
Não podendo conter a curiosidade, o viajante perguntou a razão daqueles nomes originais dados aos remos. O barqueiro respondeu pegando o remo chamado ACREDITAR e remando com toda força. O barco, então, começou a dar voltas sem sair do lugar em que estava. Em seguida, pegou o remo AGIR e remou com todo vigor. Novamente o barco girou em sentido oposto, sem ir adiante.
Finalmente, o velho barqueiro, segurando os dois remos, remou com eles simultaneamente e o barco, impulsionado por ambos os lados, navegou através das águas do lago chegando ao seu destino, a outra margem.
Então o barqueiro disse ao viajante:
- Esse porto se chama autoconfiança. Simultaneamente é preciso ACREDITAR e também AGIR para que possamos alcançá-la!

Autor Desconhecido

 

Beijos da Regina P. Caron.

Esta mensagem é sobre a força da amizade, aproveite.

 

 A força da amizade vence todas as diferenças

Aliás para que diferenças se somos amigos?

Quando erramos nos perdoamos e esquecemos

Se temos defeitos não nos importamos

Trocamos segredos

e respeitamos as divergências

Nas horas incertas,

sempre chegamos no momento certo

Amigos sem cor sem sexo sem idade

Amigo é só amigo

Nos aceitamos , sem querer mudanças

Estamos sempre presente,

não só nos momentos de alegria,

compartilhando prazeres,

mas principalmente nos momentos mais difíceis

Não tiramos a liberdade

não sufocamos não forçamos nossa presença

Estamos perto quando de nós necessitam

e ao nos afastarmos ,

respeitamos sempre a individualidade alheia.

  A amizade não se força.

Mas tem uma força

que se intensifica a cada instante

É dessa maneira que sou tua amiga!!!

Autor desconhecido.

Olá! Como vão??

         Hoje farei um comentário sobre o texto do Professor Jarbas: “A Alma das WebQuest”.

        

         O professor Jarbas cita no texto que qualquer tipo de material instrutivo deve ter alma para poder conquistar os corações e as mentes dos estudantes. Acredito que todo profissional da área da educação deve ir em busca de conhecimentos e preparo para perceber e desvelar esta alma dentro da sua proposta pedagógica, senão perde a atenção  e interesse dos alunos para criar uma WebQuest.

        

         O Bernie Dodge é o criador do modelo WebQuest e a sua  proposta é de escrever um texto indicando o software através de recursos da internet e com as informações obtidas serão estudadas em diferentes grupos de alunos. Foi através dessa proposta de aula que acabou chamando atenção dos educadores de vários lugares do mundo.
        

         Estrutura de WebQuest é feita assim: introdução (texto curto que indica a ação que desperte o interesse do aluno a ir em busca de assuntos relacionados ao tema proposto); tarefa (criação do produto); processo( caminho desenvolvido pelo aluno e pelo grupo); recursos: utilizados dentro do processo e indicados durante da tarefa sempre que os alunos precisam /internet e sites); avaliação (apresenta níveis de desempenho que os alunos podem adquirir com a realização da tarefa e o seu foco é a qualidade do produto criado pelos alunos e seus aspectos mais importantes) e conclusão (mostra indicações sobre os aspectos abordados na WebQuest).
        

         Concordo com o Professor Jarbas quando escreve que uma boa parte dos elementos que considera como indicadores da ausência ou presença de alma depende do educador, pois é esta uma técnica que o próprio educador pode utilizar em sua aulas para despertar o interesse do aluno a buscar novas tecnologias e informações que aprimorem o conhecimento, podendo até leva-los a efetuar tarefas e fazer suas escolhas, além claro, da aula ficar mais dinâmica.

                                                     Abraços da Regina Pereira Caron.

 

OI PESSOAL !!!

Estou enviando esta mensagem da Dayanna Daize  que é sobre algumas maneiras de fazer alguém feliz, então aproveite:

Dê um beijo,
Um abraço,
Um passo em sua direção.
Aproxime-se, cem cerimônia.
Dê um pouco de calor do seu sentimento.
Assente-se bem perto e deixe-se ficar,
Algum tempo, ou muito tempo,
Não conte o tempo de se dar.
Sonhe o sonho, sem duvidar.
Deixe o sorriso acontecer.
Liberte um imenso sorriso.
Olhe nos olhos, aponte um defeito com jeito.
Respeite uma lágrima.
Ouça uma história, ou muitas, com atenção.
Escreva uma carta, e mande-a.
Ajude a resolver um problema.
Pergunte por quê, como vai, como tem passado,
Que tem feito de bom, que há de novo.
E preste atenção.
Sugira um bom passeio, um bom livro,
Um bom filme, mesmo um programa de televisão.
Diga de vez em quando, desculpe.
Muito obrigado.
Não tem importância, que se há de fazer, dá-se um jeito.
Tente, de alguma maneira...
E não se espante se a pessoa mais feliz for VOCÊ.

 

Beijocas para todos.

Regina Pereira Caron.

 OI PESSOAL !

 QUE TAL ESTA?

 

  A professora escreve na lousa. O aluno pede licença. A professora diz: “Espera”. Dez minutos depois: Ih! já fiz...”

Regina Pereira Caron

Oi, pessoal!!!

Achei esta mensagem de Isabel Cinira interessante. Leia e reflita:

 

A JUSTIÇA

 

Quando criança eu tinha a mania de me sentir sempre injustiçado. Por um ou outro motivo, não me tinham feito justiça, sem perceber que, para mim, a justiça era sempre qualquer restrição feita aos meus desejos, fantasias e vontades.

E invariavelmente arrebentava em lágrimas de protesto.

Um dia papai me chamou e disse:

- Meu filho, vamos combinar uma coisa. Você sabe que o papai não gosta de ver você triste, não é ? Então nós vamos fazer o seguinte: Cada vez que você chorar, escreva num papel a causa. Coloque o papel no vaso azul, ali, sobre a escrivaninha. Deixe passar alguns dias e leia-o. Se achar que o assunto ainda o está aborrecendo, venha a mim, conte-me o caso e eu lhe prometo que corrigirei a injustiça que tiverem feito contra você. Combinado?

Estava combinado. Nos primeiros dias eu enchi o vaso azul de anotações. Passadas no preto e branco, minhas queixas me pareciam perfeitamente justificadas.

Passaram-se os dias e meu pai voltou a falar comigo.

- Você já pode começar a reexaminar os seus papéis. Depois venha falar comigo.

Comecei. Mas, estranhamente, constatei que minhas queixas eram banais e que, na realidade, não havia naquilo nada que pudesse motivar aborrecimento.

Abreviei o espaço dos dias e, depois, passei a examinar os papéis horas depois dos acontecimentos.

Verifiquei que não tinha nenhuma injustiça a exigir a reclamação de papai. E parei de chorar várias vezes ao dia, como estava acostumado a fazer.

Hoje compreendo que tudo foi uma brincadeira de papai. Todavia, com grande habilidade ele me levou a refletir antes de reagir. E desenvolveu em mim a compreensão a respeito do que é justiça e injustiça em face do nosso egocentrismo, exigência de privilégios e pretensões descabidas.

Com isso o meu espírito de tolerância ganhou uma amplitude que me tem beneficiado ao longo de toda a vida...

 

Mil abraços.

Regina Pereira Caron

 

OLÁÁÁ !!!

TUDO BEM ???

 

O assunto de hoje é sobre limites:

A criança precisa mito conhecer os limites porque ainda não tem claro o que pode ou não fazer. Ensinar, discutir e fazer entender com uma linguagem adequada que os limites dão uma clareza de mundo. A criança que não conhece os limites poderá ficar insegura tanto fisicamente como emocionalmente, ou seja, fica sem rumo, o que dificulta o bom entendimento de tudo que a cerca.

O limite desenvolve a cooperação, responsabilidade, autonomia e liberdade. E assim a criança consegue adquirir sua independência se for permitido que cresça para conquistá-la.

Para os interessados um abraço.

                                        Regina Pereira Caron.

Oi! Estou aqui outra vez

Trataremos do assunto sobre: O que é Educar ?

 

Sabemos que não existe uma receita para educar uma criança. Mas a verdadeira educação deve vir de todos, dos pais, dos professores, tios... Estes poderão contribuir muito na vida das crianças.

 Primeiro precisamos entender que a criança não é um filhote, e que precisa ser respeitada, os pais não devem deixar de fazer o certo e procurar falar sempre a verdade. Dosar amor e liberdade é essencial para as crianças desde que não seja uma liberdade total que pode causar insegurança, mas a criança deve ser amada, receber atenção e ter liberdade de manifestar o seu jeito de ser. Na outra semana voltarei no mesmo assunto, mas escrevendo sobre limites.

Mil abraços.

                                                       Regina Pereira Caron.

OI, PESSOAL!!!

O ASSUNTO É SOBRE “A TELEVISÃO E O BRINCAR”.

Infelizmente a televisão exerce influências negativas no Comportamento Infantil. As crianças ficam até tarde assistindo televisão e acabam não se interessando por mais nada. Talvez poucos pais saibam o quanto é importante o brincar. A brincadeira é fundamental para o desenvolvimento físico e psíquico do seu filhoAtravés do brincar a criança está experimentando o mundo, os movimentos e as reações, tendo assim elementos para desenvolver atividades mais elaboradas no futuro. A brincadeira permite um extravasar dos sentimentos, auxilia na reflexão sobre a situação, criando várias alternativas de conduta para o desfecho mais satisfatório ao seu desejo.
O ato de brincar com outras crianças favorece o entendimento de certos princípios da vida, como o de colaboração, divisão, liderança, obediência às regras e competição. Achei um site interessante que comenta sobre a TV . Verifique !!! 

Regina Pereira Caron.

Comentário Pessoal sobre o texto: “Computadores na educação: uma visão não-Orwelliana” de George A. Miller.

No texto fica claro que muitas matérias podem ser ensinadas como parte de instrução em computação para as crianças e apresenta também possibilidade de que os computadores devem imitar professores. Acredito que é necessário implantarmos modelos de informática na escola, mas isso deve ser uma ferramenta a serviço dos professores e nunca substituí-los. Estes por sua vez precisam buscar informações novas para se atualizar e cursos que facilitam o uso do computador em suas aulas para poder utilizar o computador, não apenas como calculadora ou como máquina de escrever textos. No meu ponto de vista um computador nunca vai substituir um professor, pois um ser humano precisa estabelecer relações com a sociedade, ou seja, o mundo real é essencial para a aprendizagem do homem.

Regina Pereira Caron.

A PROFESSORA FOI EXPLICAR A LIÇÃO PARA O ALUNO ATRASADO E ESTE SE AFASTOU DA PROFESSORA DIZENDO: “BÁ”.

 

Regina Pereira Caron

A COCEIRINHA

 

UMA CRIANÇA DISSE PARA A OUTRA:"A PULGA NÃO ESTAVA ATRÁS DA ORELHA".

                                                   Regina Pereira Caron

Oi ! Como estão?

O assunto de hoje é sobre a fala. Você sabe qual a idade em que a criança já deve estar falando ?

De maneira geral, pouco depois dos dois anos, a criança já deve estar razoavelmente expressando seus desejos mais simples, como: apontar objetos, enfim comunicar-se através das palavras. Se houver demora ou se a criança não falar nada, é porque alguma coisa não vai bem devemos levar em conta os motivos biológicos (a criança pode sofrer de algum distúrbio na audição), psicológicos (pode ter sofrido um processo emocional violento, como um grande susto ou ainda suportado uma angustiante situação em período prolongado) e sociais (a criança pode não querer falar, em relação ao meio que ela vive e do qual não gosta). Se o tempo passar e a criança continuar a ter dificuldades com a fala, torna-se necessário a presença do médico, do psicólogo, e do profissional especialista em distúrbios desse tipo: fonoaudiólogo.

Existe um site que oferece dicas de atividades que todos podem fazer para melhorar a capacidade d entender as palavras e até mesmo como falar com a criança.

Até logo mais com outro assunto !!!

                                                              Regina Pereira Caron

Hoje fiquei com vontade de escrever sobre: 

Resposta inútil

A professora levou os seus alunos para o parque. As crianças começaram a brincar. Ela ficou de olho em todos os alunos e percebeu no momento exato que a criança iria cair do escorregador e a professora muita ligeira segurou o garoto, mas a coitada acabou se machucando. Pediu ajuda para a auxiliar cuidar da sua turma, para que pudesse limpar o joelho ralado. A outra colega curiosa perguntou o que houve e a professora  contou. E a resposta da colega foi:’” Ainda bem que foi você e não o menino”.

 

                                                                             Regina Pereira Caron

 

Olá Pessoal, esta é uma experiência que presenciei com uma colega. A coordenadora era eu !!!

O feitiço

Quando a coordenadora pedagógica da creche estava subindo as escadas, escutou gritos exagerados que diziam o seguinte: “Cale a boca e fique quieto agoraaaa”. A coordenadora chamou atenção e orientou sobre a sua postura. A educadora no começo acatou a ordem, mas dias depois voltou a ter o mesmo comportamento. A coordenadora ficou inconformada com a situação e justo neste dia as fonoaudiólogas chegaram na creche para fazer a triagem com as crianças. A coordenadora acabou comentando sobre o fato ocorrido e combinaram de conversar com a educadora. Durante a conversa as fonoaudiólogas perceberam que esta educadora estava muito rouca e encaminharam-la para fazer alguns exames específicos. A educadora levou os exames no consultório das fonoaudiólogas e teve uma surpresa desagradável. Estava com nódulos na garganta de tanto gritar, e se não fizesse o tratamento adequadamente poderia perder a voz.

 Que ironia hein ?

 Portanto, se eu tenho uma atitude agressiva com alunos, acabo plantando em mim a própria semente da agressividade, ou seja, o feitiço vira contra o feiticeiro também.

                                                                              Regina Pereira Caron

[ ver mensagens anteriores ]

O que é isto?
Visitante número: